flexostar-award-group.jpg

A DS Smith vence dois prémios no Flexostar 2015

A DS Smith venceu dois prémios no Flexostar Awards 2015, que destaca as melhores impressões flexográficas do ano.

A cerimónia da 29.ª edição dos prestigiados prémios decorreu no Centro de Conferências de Chamonix e foi organizada pela Association Technique Française de Flexographie (ATF Flexo) (“Associação Técnica Francesa de Flexografia”).

A dedicação da DS Smith à qualidade voltou a ser reconhecida pelo júri do Flexostar. A DS Smith venceu um Flexostar de prata pela impressão “Jacquet”, criada pelas nossas instalações em Velin, França, e um Flexostar de bronze pela impressão “Andros”, realizada pelos nossos colegas na filial Sud-Ouest, em Cognac, França.

Os prémios anuais, abertos a todas as impressoras, promove a qualidade das impressões flexográficas. Este ano, o presidente do júri era Bertrand ARNAULT, presidente do COF (Carton Ondulé de France) (Cartão ondulado de França). Dividido em dois grupos (um júri técnico e um júri artístico), os jurados reuniram-se anteriormente nos dias 15 e 16 de outubro para nomear os melhores candidatos. 

Ao longo dos anos, a DS Smith tem vindo a ter muito sucesso nestes prémios. Em 2014, o projeto apresentado, “Envoûtante” (o que significa “encantadora”) levou três prémios para casa:                                                                     

  • O prémio de ouro pela categoria de pré-impressão “pré impression pour carton ondulé”
  • O “Prix du Jury Technique”, que premeia feitos técnicos exemplares em todas as categorias
  • O prémio “Super Flexostar”, que recompensa designs e impressões de primeira qualidade em todas as categorias

A “Envoûtante” foi impressa na mesma máquina Fischer & Krecke que venceu o prémio Flexostar de prata pela impressão “Jacquet”. Está equipada com as últimas tecnologias – inclusivamente um GPS RFID para garantir uma pressão e um registo perfeitos de até oito cores – só existem duas máquinas destas na Europa e três em todo o mundo. A máquina permite uma impressão em HD com critérios muito específicos, sendo que as impressões que ela produz têm uma qualidade comparável às impressões de offset, mas por um preço significativamente menor.

A impressão flexográfica foi inventada em Liverpool em 1890. Desde então, os princípios da impressão flexográfica mantiveram-se iguais, mas as chapas de impressão melhoradas com materiais de vanguarda e tintas inovadoras levaram o processo para o século XXI.  A flexografia (conforme é conhecida) recorre a uma chapa de relevo flexível (onde o texto ou as imagens a ser impressos estão elevados em relação ao fundo) e pode ser usada para impressões em quase qualquer tipo de superfície. Uma das utilizações mais populares é a impressão em embalagens alimentares dado que esta tem de ser feita a partir de um material não poroso. A utilização de um material não poroso torna impossível a absorção da tinta usada noutros processos de impressão.